Se você assistiu o documentário “Neymar: O Caos Perfeito, com toda certeza escutou a voz de Yas Werneck. A música intitulada como “Coméki”, abre a série da Netflix com uma letra que se completou com as cenas de introdução. A série foi lançada em fevereiro e contou com criticas positivas e negativas sobre a vida do atleta. Uma mulher preta e da Baixada Fluminense na abertura de uma série super esperada.

Nascida no Rio de Janeiro e criada em Pirassununga (SP), Yas teve contato com a música logo cedo em sua infância. Desde cedo frenquentando a igreja, a artista foi descoberta musicalmente pela sua mãe. 

No Hip Hop a influência também foi dentro de casa através do seu pai, que sempre ouvia duas referências icônicas do rap nacional como Racionais e MV Bill. Incentivada pelos DVDs de camelô — mais especificamente o Video Traxx — a artista conheceu mais pessoas que estavam movimentando o cenário estadunidense naquele momento e aumentou sua autoestima.

O grupo JEYBI foi formado por ela e mais duas amigas e durou por 2 anos até lançar o seu primeiro trabalho solo. A música lançada em 2013 foi intitulada como Paciência e que moldou a carreira de Yas.

Paciência corre aqui pra eu não perder o meu domínio próprio, acharam que eu ia engolir o que era óbvio

Yas Werneck – Paciência

Neymar: O Caos Perfeito

Em um certo momento da sua carreira, Yas recebeu uma proposta para inserir a trilha “Coméki” em um documentário, mas como sempre muito disponível, a artista não se hesitou e concordou com a ideia sem saber realmente do que se tratava.

Com o tempo, foi descoberto que a série se tratava de uma produção da Netflix sobre a vida do atleta

Pela grandeza do projeto, foi necessário muito tempo e muito processo burocrático que trouxe uma desconfiança e uma incerteza se ia dar certo ou errado. A escolha veio de Tejo Damasceno, conhecido na cena por diversos trabalhos e especialmente por ter trabalhado com Sabotage.

A faixa “Coméki” foi lançada em 2016, e como muitos outros artistas no rap nacional, a música que esteve na série do maior atleta da atualidade do Brasil, foi gravada com pouca estrutura atrás de uma porta e pouco isolamento acústico. 

Antes da série ser lançada, o som tinha apenas 1000 visualizações, hoje na data de lançamento da matéria, já conta com quase 1 milhão de views. No Spotify já está atingindo a marca de 3 milhões. Yas Werneck diz estar muito feliz com a repercussão que teve após o lançamento, principalmente de sua família estarem comemorando essa vitória ao seu lado.

“Conheci a Yas a um tempo atrás lá no dia da rima no Enraizados e papo reto lá ela já era o que tá demonstrando hoje com um única diferença, que evolução monstra, lírica ficou foda, flow foda é dicção explicitamente correta, via garota que tu tem tudo pra subir”, em um dos comentários da Coméki, é citado o Instituto Enraizados que é uma organização de Hip Hop que surgiu no final dos anos 90 com o intuito de utilizar as artes integradas do hip hop como ferramenta de transformação social.

O Enraizados foi onde a artista pode se apresentar pela primeira vez solo.

Yasminie ama desenhar, é casada com Luan Neves, mãe da filhotinha Ayo e é professora de matemática. Independente das barreiras que aparecem no caminho, Yas tem pé no chão, fé em Deus e a consciência tranquila. Em 2016 quando foi lançada a “Coméki”, achava que não ia virar. Virou, mesmo com os entraves na carreira, nunca desistiu.